quinta, 28 de junho de 2018 - 09:52h
Programa Luz Para Todos é retomado no Amapá
Até dezembro de 2018 as comunidades de Maracá, Lourenço e Carnot receberão energia 24 horas por dia
Por:
Foto: Foto: Marcelo Loureiro/Secom

Desde que começou a ganhar a vida, ainda criança, nos castanhais da longínqua comunidade do Maracá, no sul amapaense do município de Mazagão, o jovem extrativista Francinaldo Ribeiro, 20 anos, busca aumentar a produção que lhe dá o sustento. Diariamente, ele sai de casa ainda de madrugada, às 5h, para percorrer a floresta nativa da região em busca da castanha do brasil. É do comércio do pequeno fruto que ele vive com os pais e os quatro irmãos – uma família de castanheiros. Os rendimentos dependem das vendas da castanha in natura ou derivados dela, como doces e biscoitos.

“É por isso que queríamos aumentar a produção, para melhorar a nossa renda e ter uma vida mais digna. Mas sem energia fica difícil, pois, para fazer as iguarias, a gente tem que conservar a massa da castanha. Geladeira até que tem, mas a energia só tem de cinco da tarde às duas da madrugada”, relata o jovem.

O sonho dele em melhorar a renda e a qualidade de vida da família – o mesmo de centenas de outros castanheiros do Maracá – está mais perto. A energia 24 horas necessária para o crescimento da produção deve chegar à comunidade antes do Natal, com as obras do Luz para Todos.

A retomada do programa no Amapá foi oficializada nesta terça-feira, 26, durante audiência pública na Justiça Federal, em Macapá. Representantes de comunidades isoladas energeticamente se deslocaram à capital para participar do encontro. Entre eles, Francinaldo Ribeiro, que comemorou a notícia.

“Hoje, quando saio de casa para trabalhar, está escuro, e quando vou dormir, também. Mas agora tenho fé que esta situação vai mudar. Vamos ter energia para aumentar a produção e a nossa renda. Não vamos mais dormir no escuro. A vida vai melhorar”, animou-se o trabalhador rural.

Durante a audiência, o procurador-geral do Estado, Narson Galeno, que representou o governo, destacou que a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) já assinou o contrato com as empresas que executarão as obras que vão levar energia elétrica do Sistema Interligado Nacional (SIN) às localidades, com fornecimento 24h por dia.

A ordem de serviço que autoriza o início das obras foi assinada no último dia 21. As primeiras comunidades a serem beneficiadas serão Carnot e Lourenço, no município de Calçoene, e Maracá, em Mazagão. Nestas três localidades serão instaladas 1.725 Unidades Consumidoras (UC), que receberão energia elétrica para beneficiar 7 mil pessoas. Será necessário implementar redes de distribuição, postes e construção de duas subestações. Estes serviços correspondem à primeira etapa sob responsabilidade da CEA.

O presidente da CEA, Marcelino Machado, entregou ao juiz federal, João Bosco Soares, e as comunidades presentes uma cópia do contrato assinado com as empresas que executarão as obras e destacou a importância da universalização do uso da energia elétrica em todo Amapá

Contrapartida

O planejamento do Luz para Todos no Amapá prevê a instalação de 17.004 novas ligações. Destas 5.274 estão sob a responsabilidade da CEA. O restante, 11.730, serão feitas pela Eletronorte.

Para as 5.274 unidades que serão interligadas pelas empresas contratadas pela CEA, o custo é de R$ 82 milhões, dos quais o Governo do Amapá garantiu a contrapartida financeira de R$ 8,2 milhões (10% do total), sendo R$ 2,1 milhões já liberados à primeira etapa (Maracá, Lourenço e Carnot). Além destas comunidades, outras, dos municípios de Oiapoque e Vitória do Jari, também serão alcançadas pelas obras da CEA.

CEA - Companhia de Eletricidade do Amapá
Av Pe Júlio Maria Lombaerd, 1900 Macapá - AP CEP: 68.900-030 - (96) 3212-1300 - cea@cea.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2018 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá