terça, 03 de agosto de 2021 - 15:30h
Consumidores devem moderar o uso de aparelhos “vilões” no consumo de energia
Centrais e ar condicionado são os que mais impactam na conta de energia do amapaense. Consumidor deve também estar em alerta com a bandeira tarifária, que está na cor vermelha patamar 2.
Por: Cassio Albuquerque
Foto: Arte: Rogério Queiroz
Ilustração com a média de consumo dos principais eletrodomésticos e eletrônicos utilizados pelos consumidores

Com a chegada do verão amazônico, onde são registradas altas temperaturas em todo o estado, o amapaense recorre às centrais e ar condicionados para se refrescar e se proteger do forte calor. Porém, o uso exagerado destes eletrodomésticos pode impactar na conta de luz, que está desde junho deste ano na bandeira vermelha patamar 2. O valor pago a cada 100 quilowatts/hora é de R$ 9,492.

Isso porque estes aparelhos são considerados os “vilões” do consumo de energia. O uso das centrais de ar, por exemplo, tem consumo médio de 120 kWh. Pode representar até 45% no valor da fatura, numa rotina de uso de 8h por 15 dias.

Um aparelho de ar condicionado de 10 mil BTU/h ligado quatro horas por dia durante um mês consome 71,14 kWh, representando um custo de R$ 46,10 na bandeira verde e de R$ 49,01 na bandeira vermelha patamar 2.

A saída para economizar são os ventiladores de mesa ou os de pé. Esses eletrodomésticos têm a média de consumo mensal de 16 KWh, com uma rotina de uso diário de 4h. O cuidado neste caso, são com os modelos de teto, que tem a média de consumo de 28 kWh.

Outro eletrodoméstico que tem impacto direto na fatura é a geladeira. Os modelos frost free são as que mais consomem energia (média de 56,88 Kwh). Os modelos mais econômicos têm média de 15,8 kWh.

O uso das bombas d’águas também faz parte da rotina de muitos amapaenses que possuem poços em suas residências. É preciso também ter prudência, pois embora tenha uma média mensal de consumo de 5 kWh, o desperdício de água pode aumentar este indicativo.

Crise hídrica e Bandeiras Tarifárias
Desde julho, os reservatórios têm apresentado baixos níveis devido à afluência nas principais bacias hidrográficas do Sistema Interligado Nacional (SIN) em todo país. Essa situação reduziu consideravelmente a capacidade de produção de energia nas hidrelétricas, obrigando o uso das usinas termelétricas, cujo custo de geração é maior.

O cenário é determinante para que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determine a cor da bandeira a ser acionada. Quanto menor os custos de geração, menor será o valor da bandeira.

O funcionamento das bandeiras tarifárias por cores. Quando está na cor verde não há custos adicionais e indica situação normal de geração. A bandeira amarela indica condições menos favoráveis na geração e o custo adicional é de R$ 1,874 a cada 100 quillowats/hora

A bandeira na cor vermelha sinaliza condições mais custosas para a geração de energia. No patamar 1 é cobrado R$ 3,971 a cada 100 quillowatts/hora. No patamar 2 o valor é de R$ 9,492.

Estratégias para economizar energia

Para ter economia na conta de energia, o consumidor precisa ser disciplinado e seguir à risca hábitos saudáveis. Veja as principais dicas:

Uso de forma moderada ar condicionado e centrais. Dê preferência aos ventiladores de mesa ou de pé;

Trocar lâmpadas fluorescentes por lâmpadas led, pois são mais econômicas;

Apague as luzes durante o dia;

Use o ferro de passar apenas para as roupas necessárias. Comece passando sempre as roupas mais leves;

Evite deixar TVs e outros eletrônicos em modo stand by. Tire-os da tomada;

Evite deixar a porta da geladeira aberta;

A bomba consumirá menos energia se não houver desperdício de água;

Faça a revisão das instalações elétricas da sua residência ou estabelecimento periodicamente.

CEA - Companhia de Eletricidade do Amapá
Av Pe Júlio Maria Lombaerd, 1900 Macapá - AP CEP: 68.900-030 - (96) 3212-1300 - cea@cea.ap.gov.br
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2021 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá